Humanização dos serviços “A linguagem religiosa num contexto secular”

Decorreu uma palestra sobre humanização dos serviços com o tema “A linguagem religiosa num mundo secular”, ontem, no auditório da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos.

“A regra de ouro não é a que convida a tratar os outros como gostaríamos que nos tratassem, mas como eles gostariam de ser tratados, quer dizer, centrarmo-nos na pessoa do destinatário da visita”, destacou o Frei Hermano Filipe Rodrigues, na palestra sobre humanização dos serviços com o tema “A linguagem religiosa num mundo secular”, que decorreu, ontem, no auditório da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos.
Em mais uma atividade do programa comemorativo dos 518 anos, o capelão da instituição apresentou uma verdadeira lição de sapiência aos participantes desta palestra, maioritariamente colaboradores da instituição que lidam diariamente com a fragilidade humana.
Ficou bem claro que a linguagem que usamos no dia-a-dia, nomeadamente com doentes e idosos, nem sempre é a mais adequada apesar de estarmos convencidos do contrário. 
Frei Hermano Filipe Rodrigues demonstrou em dezanove pontos quais são as más e boas práticas em diversas situações, sendo que destacou o facto de ser essencial centrar-se na pessoa considerando-a “em todas as suas dimensões, quer dizer, na dimensão física, intelectual, social, emocional, espiritual e religiosa”, promovendo a escuta e o silêncio quando necessário.
Das numerosas boas práticas que o Frei Filipe Rodrigues foi apresentando, realça-se “promover a responsabilidade do doente na tomada de decisões, identificar as áreas de força que o utente pode adquirir para viver responsavelmente as suas limitações e estimular as capacidades que o paciente tem e favorecer o seu desenvolvimento máximo”.
Como infundir esperança, acompanhar e perdoar, celebrar os êxitos, que linguagem usar no caso da visita ao doente de alzheimer ou ao doente em fim de vida ou ainda a complexa questão de como acompanhar o luto, foram alguns dos pontos abordados, ficando a possibilidade de aprofundar algumas destas questões nos equipamentos da instituição.

Missa e Sarau Musical
O programa comemorativo dos 518 anos prossegue, amanhã, no dia 31 de maio, pelas 10h, com uma missa comemorativa do Dia Nacional das Misericórdias e, pelas 21h30, um sarau musical pela Orquestra da Banda de Oliveira, na igreja da Misericórdia.


SCM Barcelos, 30 MAIO 2018

Notícias