Notícias

03 Dez
colaboradores-reforcam-competencias-face-a-epidemiaspandemias

Colaboradores reforçam competências face a epidemias/pandemias

Quinze colaboradores da Santa Casa terminaram, no passado sábado, a formação em “Segurança e Higiene no Trabalho – situações epidémicas/pandémicas”, promovida pelo Centro de Formação. A ação formativa envolveu colaboradores da área da Educação na Infância (13) e do Centro de Formação (2). Ao longo de 25 horas, foram tratadas questões que têm que ver com a identificação do papel e das funções de cada um na organização pelo apoio aos Serviços de Segurança e Saúde no Trabalho na gestão de riscos profissionais em situações de epidemias/pandemias; reconhecimento da importância das diretrizes internacionais, nacionais e regionais no quadro da prevenção e mitigação de epidemias/pandemias e a necessidade do seu cumprimento legal; apoio aos Serviços de Segurança e Saúde no Trabalho na implementação do Plano de Contingência da organização, em articulação com as entidades e estruturas envolvidas, de acordo com o respetivo protocolo interno; e apoio na gestão e cumprimento das medidas de prevenção e proteção dos trabalhadores, clientes e/ou fornecedores. A ação prende-se com a preocupação e com a aposta da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos em formar para dar uma melhor resposta em tempos de pandemia.

Ver Mais
24 Nov
atualizacao-epidemiologica

Atualização Epidemiológica

A Santa Casa da Misericórdia de Barcelos tem, no total das suas unidades operacionais, um surto ativo de COVID-19 no Lar Rainha D. Leonor e outro no Lar da Misericórdia. No Lar Rainha D. Leonor, registam-se 38 utentes e 12 colaboradores com resultados positivos. No Lar da Misericórdia, o surto afeta 16 utentes e oito colaboradores. Nas restantes estruturas residenciais para pessoas idosas, Lar Nossa Sra. da Misericórdia, Lar Santo André e Lar Comendadora Maria Eva Nunes Corrêa, bem como na Unidade de Cuidados Continuados Integrados, têm vindo a ser realizados testes, não se registando neste momento qualquer caso positivo para SARS-CoV-2, nem em utentes nem em colaboradores. Numa das quatro unidades de Educação na Infância, Centro Social Comendadora Maria Eva Nunes Corrêa (Silveiros), duas crianças tiveram resultado positivo, tendo sido infetadas em contexto familiar. As crianças já se encontravam em isolamento domiciliário, quando realizaram o teste, mas, por uma questão de precaução, as respetivas turmas foram enviadas para casa. Todas as famílias – quer nas referidas estruturas residenciais para Pessoas Idosas, quer na unidade de Educação na Infância – foram de imediato informadas. A Santa Casa da Misericórdia de Barcelos continua, desde o primeiro momento, focada em proteger e assegurar os melhores cuidados possíveis aos cerca de 1700 utentes que serve diariamente e aos seus mais de 400 colaboradores.

Ver Mais
24 Nov
profissionais-de-saude-debatem-pe-diabetico-e-doenca-venosa-cronica

Profissionais de saúde debatem Pé Diabético e Doença Venosa Crónica

O Auditório da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos (SCMB) acolheu sábado, 21 de novembro, uma sessão sobre “Pé Diabético e Doença Venosa Crónica”, com organização local do Serviço de Cirurgia Geral do Hospital Santa Maria Maior, de Barcelos, e apoio da Misericórdia de Barcelos. A sessão decorreu durante a manhã e contou com cerca de 200 participantes em formato e-learning, entre “cirurgiões, médicos de medicina geral e familiar, enfermeiros, fisioterapeutas e podologistas”. “Todos somos necessários para o combate ao pé diabético e também para a doença venosa crónica”, sublinhou Pratas Balhau, cirurgião Geral e Vascular e diretor do Serviço de Cirurgia Geral do Hospital de Santa Maria Maior. Em debate, estiveram problemáticas que ora dão “muita despesa ao Serviço Nacional de Saúde e muita ocupação de camas”, como no caso do pé diabético, ora, no caso da doença venosa crónica, “mais incapacitante”, provoca dores, úlceras e cansaço nas pernas, “o que faz com que as pessoas faltem muito ao trabalho e peçam reformas antecipadas, trazendo, consequentemente, graves problemas socioeconómicos familiares e também ao Estado”, explicou o organizador local. Trata-se, portanto, de problemáticas frequentes com os quais os profissionais de saúde são confrontados todos os dias, “razão pela qual é necessário divulgar, esclarecer, (in)formar e falar das novas técnicas e tecnologias”, conforme sublinhou Pratas Balhau. A sessão sobre “Pé Diabético e Doença Venosa Crónica”, com organização local do serviço de Cirurgia Geral do Hospital Santa Maria Maior, de Barcelos, contou com o apoio da SCMB, como forma também de estreitar laços entre as instituições. “A Misericórdia dispôs das suas instalações, o que é muito bom para nós, estamos porta com porta, enfim, é uma família”, rematou Pratas Balhau. Para o Provedor da Misericórdia de Barcelos, Nuno Reis, "a Santa Casa tem vindo a estabelecer novas parcerias e a trabalhar em rede com entidades das mais diversas áreas e, independentemente de todas as adaptações e mudanças a que esta pandemia nos obriga, continuar a promover a formação e discussão de temas tão relevantes quanto o pé diabético e a doença venosa crónica é algo que a todos motiva".

Ver Mais
17 Nov
criatividade-e-formacao-de-maos-dadas

Criatividade e Formação de mãos dadas

15 pessoas participaram na formação modular certificada em “Expressão plástica - técnicas e materiais”, promovida pelo Centro de Formação da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos, no âmbito do Programa Operacional da Inclusão Social e Emprego (POISE). A ação tinha como principal objetivo “dotar os formandos de novas técnicas a nível de expressão plástica”. Assim, foram abordadas técnicas distintas para suportes diversificados – como o recorte, a moldagem, a colagem ou a pintura –, procurando utilizar, dentro dos possíveis, materiais reciclados ou que não exigissem muitos recursos financeiros. De acordo com a formadora, Sandra Silva, desde início, os formandos mostraram-se “sempre muito motivados, mesmo aquelas pessoas que tinham algumas limitações – temos aqui o caso de uma formanda que tem uma limitação física –, mas tentamos simplificar as técnicas, de forma a que elas realmente conseguissem efetuar os trabalhos”. Andreia Vieira foi uma das formandas a chegar ao fim da ação com a sensação de trabalho cumprido, porque, mais uma vez, conseguiu superar barreiras. “Acho que, independentemente das minhas limitações, posso ir mais além. E os meus colegas ajudaram-me muito”, destacou, acrescentando, logo depois que, por “adorar crianças”, decidiu participar na formação. Também Teresa Sousa encontrou nesta ação de formação “uma mais-valia”: “Tenho um filho com síndrome de Asperger e queria tentar encontrar algumas atividades para fazer com ele e, como estou a trabalhar na cantina de uma escola, pode ser uma mais-valia para trabalhar com os meninos”. A formanda exemplificou, de seguida, os trabalhos que desenvolveu, “desde montagens com imagens de jornais, pinturas com palhinha, fazer cãezinhos com um simples pacote de leite, entre outras coisas. Foi aprender novas técnicas, usando coisas simples e básicas que, às vezes, temos em casa e dá para fazer trabalhos engraçadas com os meninos”. A formadora, Sandra Silva, faz um balanço positivo e nota que alguns formandos, no início, “se calhar até duvidaram das suas qualidades”, mas, “no fim, mostraram-se mesmo surpreendidos com os resultados finais”. E, numa fase em que importa não baixar guarda, as medidas de prevenção e segurança foram notórias, com a formação a decorrer numa sala “bastante ampla, com a devida distância entre as mesas e com apenas um formando por mesa”. À entrada e à saída, foi disponibilizado gel para a desinfeção das mãos e feita a medição da temperatura. “Tentámos sempre que os trabalhos fossem feitos de forma individual, mas, sendo necessário em grupo, eram, excecionalmente, duas pessoas por cada mesa e com as devidas medidas de segurança”, explicou a formadora, Sandra Silva. A formanda Teresa Sousa corroborou: “Senti-me segura”. “Tenho todos os cuidados, mas, aqui na formação, temos sempre tudo disponível, desde higienização, desinfetante, por isso senti-me segura, sim”, rematou. [ALBUM:102]

Ver Mais
11 Nov
carolina-pereira-gomes-completa-100-anos-de-vida

Carolina Pereira Gomes completa 100 anos de vida

Carolina Pereira Gomes, utente do Serviço de Apoio Domiciliário (SAD) da Misericórdia de Barcelos, completou, no passado sábado, 100 anos de vida. Cedo se iniciou nos trabalhos do campo, com os quais se ocupou ao longo da vida. Ficou viúva ainda cedo, com 40 anos, e, “mãe guerreira”, criou os oito filhos (uma já faleceu). Carolina Gomes é hoje a matriarca de uma família numerosa, com mais de duas dezenas de outros descendentes, entre netos, bisnetos e trinetos. Nascida em Vila Frescainha S. Pedro, foi lá que a D. Carolina viveu, até que, há alguns anos, foi morar para Vila Frescainha S. Martinho, para casa de uma filha. Tudo estava pensado para que a chegada aos 100 anos fosse celebrada com uma “festa bonita”, mas, por força das circunstâncias, tudo foi mais singelo e igualmente sentido. Também a Misericórdia de Barcelos se associa a este momento de festa, dando conta do contentamento pelos 100 anos de Carolina Pereira Gomes, utente do SAD há quase uma década. [ALBUM:109]

Ver Mais
10 Nov
convocatoria-assembleia-geral-ordinaria

CONVOCATÓRIA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

Ver Mais
1
2
3
4